Você foi a melhor coisa que não me aconteceu (parte II)

Você foi a melhor coisa que não me aconteceu (parte II)

Olho pra trás e vejo que foram dois anos da minha vida assim. Nos quais eu tive mais dúvidas do que certeza, que eu aguentei as coisas calada querendo gritar. Que me vi e te vi dando desculpas o suficiente pra me fazer desistir quando não, fiquei aqui, esperando você, talvez por uma ligação, ou uma mensagem que me fizesse acreditar que você estava pronto e que o problema não era eu, que nunca foi. Mas será que era ?

Esperei você pegar um avião para outra cidade e ficar com outra pessoa e esquecer de mim, de quem você realmente nunca lembrou a não ser que estivesse sozinho. A pior parte ? Era que você voltava, voltava e trazia mais dúvidas, voltava e falava da falta da sua cama vazia e de como a gente tinha tudo pra dar certo e não dava, por minha causa.  E por um momento, eu juro que podia acreditar que a gente gostava um do outro, que só faltava a gente tomar coragem de tentar.

Mas nesses últimos anos mudei algumas certezas ao longo do caminho, refiz meus planos, continuei errando sem querer aprender, bati na tecla, não superei, namorei com um cara ou dois, guardei mágoa, senti rancor, chorei até a garganta ficar irritada e o nariz escorrer. Xinguei, deixei mensagem na caixa postal, liguei as 4:00 da manhã estando bêbada pra me declarar no meu momento mas vulnerável e mais estúpido esperando que você sentisse qualquer coisa, até pena de me ver daquele jeito, só pra entender que porra, eu amava mesmo você, que era só você acreditar em mim.

Mas no final, tive que lidar com a frustração que foi te ver indo embora da minha vida mesmo pedindo pra que daquela vez (como todas as outras) ficasse e desse mais uma chance pra mim, pra gente, pra tudo o que ficasse aqui quando você fosse embora, e que iria demorar a passar.

Eu achava que o tempo fosse me fazer mais madura e a tua ausência fosse se tornar algo que eu pudesse suportar. Aprendi a desistir de você e a ver que isso nunca teve chance de dar certo, a perceber que você não me queria por perto, mas Deus me livre se me soltasse de vez e visse que eu não estava mais lá. E se eu seguisse em frente com outra pessoa, eu estaria cometendo um erro, por que eu sempre voltava pra você, não era ? Mas por esses dois anos que eu nunca te tive, e que a gente estragou tudo mais uma vez, te digo que você foi (e ainda é) a melhor coisa que não me aconteceu. E que espero que nunca mais aconteça.

Nossa história começou.

Nossa história começou.

A gente começou quando uma outra história minha terminou naquela mesma noite. Quando eu estava saindo descalça do banheiro da Antonieta segurando um copo de caipirinha e você estava fumando um cigarro do lado de fora e me olhou de olhos cerrados. Eu sei que minha maquiagem estava borrada e eu já tinha vomitado minha dignidade no vaso e dado descarga, mas nossa história começou quando você notou meu desespero de ter sido abandonada em um lugar escuro e com música alta porque minha amiga estava transando no carro de algum desconhecido.

Nossa história começou quando você nem sabia meu nome mas pegou sua jaqueta de couro, passou pelo meu ombro e disse que eu tinha cara de quem precisava de um amigo. E eu tentei engolir o choro e não precisar de ninguém quando você puxou o salto da minha mão e me levou pro bar. Você pediu uma água enquanto ria dizendo que meninas precisam de chocolate para se sentirem melhores. Mas nossa história foi tomando  forma quando você disse que uma mulher precisa de um cara que as leve para casa e que deseja boa noite depois de um dia de merda. E que eu parecia ser essa mulher.

Eu me sentia idiota contando o motivo de eu estar numa festa 2h da manhã sem salto nos pés e sem companhia, o que me fazia parecer mais desesperada do que eu tinha imaginado, e você faz parecer como se aquilo fosse tão importante como se eu tivesse contando a cura pro câncer. Você riu enquanto eu chorei e se levantou quando eu levantei e disse que precisava ir embora. Foi quando disse que eu podia confiar em você pra me levar pra casa ou confiar em um táxi desconhecido que poderia errar o caminho pela madrugada.

Foi quando eu decidi confiar em você. E você me carregou no colo pra não sujar meus pés. Tentei não achar engraçado porque você quis pagar de cavalheiro mesmo aquele não sendo seu tipo mas eu não liguei, meio sorriso já bastou pra eu saber que você poderia ser o príncipe que tinha um cavalo branco ou um carro parado bem ali na esquina que poderia me levar em segurança. Nossa história começou quando eu não soube seu nome, nem seu signo e muito menos se você poderia me sequestrar noite a fora, mas foi quando me abraçou e disse que estava tudo bem e que ele não me merecia e que eu podia chorar se quisesse. E desde quando tudo isso começou, eu nunca mais quis deixar que nossa história terminasse. E no fundo, acho que é isso, você é a minha história favorita.

Você não deveria ter que implorar por amor.

Você não deveria ter que implorar por amor.

Leia ao som de Mercy do Shaw Mendes (porque é pra chorar).

Relacionamentos são difíceis. São duas pessoas com mundos diferentes que acabam colidindo e precisam se ajustar pra formar um só. A gente acha que a procura é sempre a parte mais difícil porque depois de diversos encontros marcados através do Tinder, e por alguma​ amiga sua que conhece um primo de um amigo que tem super a ver com o que você está procurando em alguém as esperanças vão sendo um pouco perdidas.

E daí você se conforma e diz que vai ficar sozinha por um tempo. Entra na academia, começa uma dieta nova, vai beber com seus amigos num barzinho, resolve fazer aquele passeio que a tempos queria mas estava só esperando a companhia pra ir, e decide fazer por conta própria. Até que alguém acontece. Na metade do seu caminho quando você se conforma que ficar sozinha também é bom, e que a vida de solteira tem lá suas vantagens, alguém resolve aparecer e te mostrar que consegue ser uma boa companhia na sua caminhada.

A partir disso, começam os jantares e as idas para a casa um do outro para dormirem juntos e você já tem uma toalha lá e ele, um casaco na sua casa.  Voce já conhece a família dele e ele, o seu cachorro. As mensagens de boa noite nunca deixam de ser enviadas e vocês fazem planos pro final de semana daqui até o Natal. As piadas internas e tudo que demorou a ser construído de repente ficam com cor e tomam forma, uma forma bonita que a sua vida tinha deixado de ter a um tempo, por que quem não gosta de um novo amor que preenche um espaço vazio na cama e no coração ?

Até que as coisas que eram quentes vão pra morno e do nada você se vê no meio de um deserto de gelo em que tudo perdeu a graça e você não faz a mínima ideia de como parou lá, e se pergunta onde está a outra pessoa e se ela também está se sentindo como se as coisas tivessem perdido o sentido de ser. As brigas, as cobranças, o fato de ninguém se entender, um simples ritual que foi perdido com o passar do tempo. E a queda do pedastal do relacionamento perfeito no qual você dizia estar pronta, mais madura e super firme, é a mais dolorosa. E ainda assim, ninguém quer perder nada do que já foi bom um dia.

E eu cheguei a conclusão que ninguém pode fugir dessa regra. Nem do desamor. Nem eu. E assim como todo mundo, não quero ter que implorar por amor. Não quero ter que esperar por reciprocidade. Eu quero coisas simples, como chegar em casa e ver uma mensagem perguntando se eu cheguei bem e que mesmo com o cansaço e com a rotina apertada ele vai estar cruzando a cidade de bicicleta pra vir me ver sem eu estar esperando. Grandes gestos só fazem a diferença nos filmes porque na vida real se todos resolverem cultivar um pouquinho de atenção e amor ao próximo alguns amores seriam melhores e mais fortes.

Relacionamentos se tornam difíceis quando você não repara que ela cortou o cabelo e que a camisa dele é nova. Quando se ver se torna uma obrigação e não um prazer, e quando já não importa pedir desculpas depois de uma briga ou não. É doloroso esperar por aquela mensagem que não chega e ver que o sentimento já não é mais tão forte e não causa borboletas no estômago. Se torna um fardo difícil de se carregar porque faltou dividir de forma igual a amizade, a cumplicicidade e o companherismo. E não existe relação que resista a um se doando 70% e o outro só 30%. Repito : não existe. É egoista demais aceitar de menos enquanto voce dá mais do que pode.

Então não implore por amor, restaure-o, mas não sozinho, com pequenas coisas do dia-a-dia que fazem a diferença. Não espere que o outro veja o que pra você está claro : que amor serve pra acrescentar e não diminuir. E ainda assim, mesmo se não der certo, dá pra começar tudo de novo, chorar vendo 500 dias com ela, visitar lugares novos e se amar em primeiro lugar. Até que outro alguém apareça e decida te amar e te dar o que você merece até que a procura por um amor que te complete e não que apenas preencha os lugares vazios, finalmente acabe.

Amiga, parceira, só se for amiga que tá contigo pra todas as horas.

Amiga, parceira, só se for amiga que tá contigo pra todas as horas.

Abro o celular e vejo mais de 100 prints na galeria, releio todos eles. Eu chorei junto com você e você comigo, a maior parte das vezes por pessoas que não nos mereciam e não souberam nos valorizar. Eu vi quando você estava feliz por achar que daquela vez seria diferente e quando me apresentou mais um cara eu o ameacei com um olhar de aviso. Porque com a gente sempre foi assim : quem nos machucasse iria sair ferido.  Ele não estaria só machucando uma de nós e sim as duas, porque no final, ficaríamos ali, naquelas incontáveis noites de choro sem acreditar que foi mais uma das vezes que alguém quebrou nosso coração. Mas sempre sobrevivemos para ter esperança de amar de novo, e estávamos juntas quando isso aconteceu.

Então quando seus relacionamentos acabaram, e os seus sorrisos se foram e você não conseguia ser forte, eu estava disposta a correr uma maratona por você e resgatar a sua felicidade, onde quer que ela estivesse naquele momento, porque a definição de sermos amigas é nunca estar ou se sentir sozinha, e sempre ter um lugar só nosso que pessoa nenhuma jamais iria roubar. Era o momento que a bad dava lugar ao ” se arruma que você não vai ficar em casa sofrendo por macho” e eu não pude estar mais feliz por ter alguém que me animasse tanto quanto você.

Eu rio porque nossas habilidades contam como detetives particulares e farejadoras de falsianes. E não tem nada que a gente não descubra se não quisermos. Isso vai da hora que ele foi ao banheiro de manhã até quando curtiu a foto de alguma garota que a gente nunca foi com a cara. Tivemos mais de mil planos postos em ação e diversas horas perdidas de sono para desabafarmos pelo mesmo motivo de novo naquela semana. São roupas suas na minha casa e as desculpas  que inventamos pra sair, são fotos que não pudemos postar por estarmos loucas mas são memórias que ninguém vai tirar da gente. É tudo o que sabemos que nunca vão saber, e a confiança que daqui a uns anos vamos estar repetindo essas mesmas histórias e contando pros nossos filhos.

Nunca te agradeci por tudo mas estou agradecendo agora. Pela sua loucura fazer parte da minha, por ter pego meu celular e não ter me deixado ligar pra ele, por ter me ouvido chorar bêbada e ter me levado pra casa. Pelos conselhos que eu não segui, e por não ter me julgado ao quebrar a cara mais uma vez e ter estado ali pra me ajudar a juntar os cacos mais uma vez. A gente não empresta só uma blusinha pro final semana, mas também o abraço que serve de conforto, a cama, o Netflix, o brigadeiro e as risadas. E a minha amiga, parceira é você, que nunca me abandonou e está comigo em todas as horas.

Se conhecer alguém disposto a ficar na chuva por você, se molhe.

Se conhecer alguém disposto a ficar na chuva por você, se molhe.

Lembro quando você riu das minhas piadas pela primeira vez, a gente estava num bar sujo bebendo vinho na chuva sem se importar se íamos nos molhar ou não. E pra falar a verdade as piadas que contei nem eram tão engraçadas confesso, mas acho que você tava rindo da minha tentativa de te arrancar um sorriso bobo enquanto você morria de frio e eu usava o seu casaco. Queria te perguntar, ali você acreditou em mim ? Acreditou quando eu dei a entender que podia te mostrar meu mundo se você me mostrasse o seu ? Por mais rachaduras que ele tivesse por causa do percurso que o fez chegar até aqui ?

Eu tava com medo, não sei se você sabe, as melhores histórias de amor começam assim e quando acabam, eu termino com a minha cabeça no vaso vomitando tequila e no dia seguinte sofro de ressaca de amor. Eu te contei isso e você riu mais uma vez, dessa vez não teve graça, foi mais um riso de concordância como quem quer dizer que já sofreu por isso. Seu olhar foi de empatia, você tocou a minha mão e disse que já ficou tão bêbado que acabou dormindo nas escadarias da Lapa esperando ela ligar e não ligou, e não sabe como voltou inteiro no dia seguinte pra casa. Dessa vez foi a minha vez de rir de você, mas eu só queria te abraçar e tomar sua dor.

Mas será que alguém fica inteiro novamente ? Ou vamos roubando pedacinho por pedacinho de outros amores até estarmos firmes para andarmos com os nossos pés ? Eu não sabia a resposta e te perguntei, você também não sabia. A verdade é que ambos estávamos desacreditados em toda aquela ideia de que duas pessoas podem se remendar juntas. Eu sou de Aquário e você de Gêmeos, você não acreditou em destino e muito menos eu, mas eu sabia que ele queria a gente ali no mesmo lugar nem que fosse pra jogar conversa fiada e botar a cabeça no travesseiro e se sentir mais leve por finalmente estar botando todas as mágoas pra fora.

Quando eu disse que ia começar a Faculdade em Agosto você torceu a boca e disse que eu morria de antecipação e que tava na cara. Eu chamei o garçom falando que ia pagar a conta e você tomou a comanda da minha mão e me olhou de cara feia. Eu cantei uma parte da letra de Wonderwall e você disse que foi a pior versão que já ouviu e gargalhou. Eu levantei falando que ia fumar e você disse que ia me esperar voltar. Você aceitou minhas manias e não considerou como erro e droga, me vi ficando apaixonada pelo seu cabelo jogado na cara e sua barba pra fazer.

Então se você tiver alguma intenção de ficar saiba : Tô te encontrando em meio ao caos, tô vestindo minha armadura de guerra, tô pintando meu rosto pra ir à luta, tá indo a fé e mais nada, é tudo o que eu posso te oferecer e acredite quando eu digo que eu vou até o final. O caminho é estreito, você não disse pra lutar mas eu tô indo, tô preparando meu urro de vitória antes mesmo de saber se vou vencer ou não então se eu cair, me dá a mão e confia que tô te entregando meu coração pra você cuidar. Não me pede pra desistir, não vira as costas e me manda recolher as minhas armas porque eu não vou. Eu não sabia o que tava esperando até te conhecer e bom, agora que eu conheço, eu finalmente achei uma pessoa que vale a pena ficar na chuva para se molhar.

Eu, que não te amo mais

Eu, que não te amo mais

No começo foi bem difícil, confesso. Parecia que a cada foto que você postava era como se quisesse me mostrar que estava melhor sozinho do que esteve comigo aquele tempo todo. Um tapa na cara doeria menos do que ver que você fez planos com outra pessoa e pra mim eram sempre desculpas de que tava trabalhando demais e que precisava de um tempo. A verdade nua e crua doí, e essa foi a parte que decidi fechar seu Instagram e não saber mais de você. Senti nossa história indo pro ralo, joguei no lixo tudo o que me deu pra não ficar guardado no armário, apaguei seu número como se não soubesse de cor, refiz meu trajeto pra não ter que passar em frente a seu apartamento e não dar de cara com você.

Cogitei atirar ovos na sua janela e fugir, mesmo sabendo que não importava aonde eu fosse eu tava torcendo pro nosso olhar se cruzar na rua pra te dizer o que tem estado entalado esse tempo todo. Engraçado como tudo vira competição de quem está mais feliz, o ego fala mais alto. E ficar sozinha nunca é bem uma opção. Segundo meus amigos eu precisava ir pra alguma festa porque iria conhecer gente legal, um cara que soubesse conversar sobre política e que iria adorar ver Vikings comigo, um cara diferente de você, mais maduro, que sabia o que queria fazer na faculdade. Eu precisava beber porque ai sim eu ia esquecer você, e logo alguém melhor iria me fazer superar todos os relacionamentos de merda que eu tive.

Mas a cada tentativa era um erro que não estava mais disposta a cometer, se você estava feliz tentando preencher o vazio que talvez sempre existiu com o tempo eu também iria ficar. Sem precisar sair com o amigo de um amigo meu e ter que enfrentar toda a aquela baboseira de primeiro encontro e recomeços que só servem pra ocupar um lugar que um dia foi seu. Sem querer jogar na sua cara que você foi o pior erro que eu já cometi quando a maior prova de que eu estava te esquecendo era olhar pra frente e ver que eu estava completa e absolutamente bem sem você pra encher a minha cabeça de dúvidas a todo instante, e tornar tão difícil acreditar que amar era bom para todas as partes. Com o tempo, tudo o que eu senti não ficou nem como uma lembrança boa que eu quis guardar… E a partir daí eu percebi.

Eu, que não te amo mais, tive que refazer meus planos, tive que apagar nossas fotos e não sentir pena de jogar fora cada momento que tivemos. Fui desapegando de pouquinho em pouquinho da esperança de que quando você percebesse o erro que havia cometido voltaria correndo, igualzinho nas cenas de filme quando o cara vai atrás da garota pra ela não pegar o ônibus e ir embora da vida dele pra sempre. Tive que aprender a me remendar sozinha, sem usar ninguém dos contatos da agenda pra quando batesse aquela carência. Baixei aquela série de treze temporadas e aprendi a ir no cinema sozinha e rir das minhas próprias piadas. Te juro que pensei que não fosse passar tão cedo mas passou, e me sinto mais leve, mais eu, uma pessoa totalmente nova que você não vai ter o prazer de conhecer.

Gente como a gente

Gente como a gente

Sai com um cara hoje. Lembrei de quando li o livro do Daniel Bovolento e fiquei pensando exatamente a mesma coisa que ele : Por onde andam as pessoas interessantes ? E como encontrá-las ? As coisas hoje se resumem ao básico, ou as pessoas se conhecem numa festa e acabam dormindo no primeiro encontro e nunca mais se vêem, ou fazem o clichê de “ vamos ver um filme e depois comer alguma coisa” e arrastam casos que não duram mais de 6 meses de puro comodismo e garrafas de vinho. Podemos apostar que as vezes em um desses casos vamos encontrar o amor das nossas vidas, eu mesma já achei ter encontrado o meu em uma festa só porque tudo se encaixou, desde o beijo as lembranças dolorosas de alguém do passado que insiste em ainda ser fantasma. Porque é isso que somos, somos feitos de memórias do melhor que já fomos um dia seja pra alguém ou para nós mesmos, mas que nunca mais voltam a ser a mesma coisa. Mas cada vez mais ficamos presos ao segundo caso, porque é isso que coração precisa.  Da calmaria antes da grande tempestade que vem ao colidir o mundo da outra pessoa com o seu.

Mas em meio a tantos pensamentos de primeiro encontro vi o quanto ele foi carinhoso, educado, prestativo, não ultrapassou os sinais, um verdadeiro cavalheiro, um pouco tímido. Mas ainda assim, onde estão as pessoas que mexem com a gente ? E porque não conseguimos ser as pessoas que mexem com as outras também ? Que nos faz esperar por mais, que nos faz imaginar como vai ser da próxima vez quando estivermos juntos ? Eu sinceramente não sei. Sempre gostei de quem me desafiasse, pessoas que falassem tanto quanto eu mas que entendessem meu silêncio, que me desse espaço, que soubesse me traduzir com um olhar. Que reparam, que me dão as mãos sem eu pedir, que me respondam sem eu sequer pensar na pergunta. Gente como eu, que toca, que arranha, que morde depois do beijo, que suspira quando acaba, que não espera até de manhã pra mandar mensagem e que já estão marcando o próximo encontro, que deita a cabeça no travesseiro e pensa “será que dá certo dessa vez ?” Que acredita e que não tem medo de acreditar. Tanto em si como no outro.

Mas onde encontrar pessoas que não desistem em encontrar o amor e que possam se sentir seguras o suficiente para se entregar de novo sem estar com a cabeça em outro lugar ou em outra pessoa ? Porque hoje somos só pessoas que querem algo instantâneo e menos espontâneo, fazendo com que a verdadeira graça de se doar só chegue no final, quando acaba e deseja que tivesse sido diferente. Posso dizer que quero mais que um vinho, mais que um cinema no final do dia, quero mais que colecionar relacionamentos fracassos e desacreditar que amor não é pra mim, quero crer que aquela bendita hora de ser feliz chega.

No final,  no beijo de despedida, no momento em que entrei no táxi só pude pensar no quanto buscamos algo que ainda não dá pra ver nem do horizonte. E que mesmo quando ele vem temos pressa, e a pressa faz com que tudo se torne mais difícil, porque não sabemos aproveitar e acabamos nos sabotando. Mas até lá, antes de buscarmos as tais pessoas interessantes por aí, devemos procurar no lugar que talvez seja mais difícil… Dentro de nós mesmos.