(Leia ao som de I’ll just wait do Emarosa)

Eu nunca entendi o por quê de tantas idas suas. A cada volta eu queria deixar tudo no lugar porque talvez fosse a bagunça e eu deveria saber melhor que era por isso que você não ficava durante muito tempo, e se ficava trocava tudo de lugar me deixando também da forma que você queria. Tentei ao máximo te mostrar que depois de você todos os amores que vieram foram fracos e que não me marcaram como você sempre fazia quando voltava pra mim e deixava um restício de sentimento que alimentava as minhas esperanças como se eu fosse um animal de estimação enjaulado, só pra poder continuar vendo o relógio passar, porque não importava o tempo, eu ia te esperar, ia esperar o seu vendaval passar porque as nossas primaveras era algo que eu esperava durante todo o inverno.

Eu via assim tudo de longe porque nada do que eu fizesse ia te fazer voltar mais cedo ou mudar de ideia, só ia acabar estragando tudo, e essa parte a gente já se acostumou. E eu precisava que você entendesse que tinha que voltar, não importando nem o motivo, apenas tinha e eu iria te mostrar que primeiros amores nunca morrem. Esperava que percebesse que até dos meus erros você sentia falta mas era dos meus acertos que você precisava. De como sempre podia me contar as coisas que eu iria entender ou me abraçar até dormir até afastar os seus pesadelos.

Acompanhei enquanto os seus amigos contaram que você tinha conhecido alguém novo e eu tive que fingir ficar feliz. Isso passa não é ? Ter a sensação que você encontrou um novo amor pra sua vida, enquanto o antigo ainda estava lá, batendo o pé jurando que você ainda vai voltar e recomeçar de onde pararam. Que um pra sempre não acaba assim, não importando quantos ‘para sempre’ tenhamos feito acabar.

Mas por essa e tantas outras coisas mais, o que eu precisava que acontecesse pra finalmente perceber o que eu nunca entendi ? Que está tudo bem desistir de você. Está tudo bem desistir de nós sem que isso signifique que eu tenha que assinar um contrato desistindo de toda a nossa história e dos nossos momentos juntos. Sem que precise que eu tenha que parar de torcer por você e querer te ver feliz, só que não comigo. Que eu posso aprender que outros abraços podem me completar e que meu coração pode ser só meu pra variar, não cacos do que restou depois de você esperando ser consertados novamente. Era um honra ter um coração quebrado por você. Mas não tem sentimento de espera que resista a isso. Tá tudo bem ser feliz sem você.

Porque enquanto estou aqui, com tantas pessoas ao meu redor mas sentindo que falta algo, eu percebo que não falta você. Que não tem faltado a tanto tempo e que eu me acostumei. Você me deixou acostumar. E é como aquela frase não é ? Quem muito se ausenta logo não faz falta. Porque no final do dia não vai ser você quem vai ouvir como foi o meu dia e nem me dar boa noite. E que se fosse pra ficar, você nem teria ido em primeiro lugar. Não teria ido e voltado tantas vezes só pra se certificar que eu ainda estaria aqui no caso de tudo dar errado com você. Me fazendo aprender a melhor coisa que você já tenha feito por mim : Não importa os recomeços se os fins forem iguais. E se esse foi realmente o nosso fim, tá tudo bem te dizer adeus. Porque o que é verdadeiro nunca diz, e verdadeiro a gente nunca foi. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s