Pra te mostrar que o mundo é maior do que você pensa.

Pra te mostrar que o mundo é maior do que você pensa.

Eu não tinha assunto pra chegar nela. Agora pareci um adolescente falando. Espera, antes tenho que explicar todo o contexto pra querer ter um assunto pra não ser só mais um babaca da noite dela. Então, lá vai.

Ela parecia estar se divertindo, tinha mais duas amigas a acompanhando, uma parecia estar mais sóbria e a outra parecia estar quase na mesma animação que a dela, apenas a 1 copo e meio de vodka com energético de diferença.

Eu sempre me perguntei o porquê das mulheres comerem chocolate quando estão de tpm, é porque estão de tpm e precisam de chocolate, mas quando elas enchem o copo, botam o batom vermelho e sorriem tanto como se fosse pra convencer a si mesmas que realmente estão felizes por estar ali, é porque elas precisam esquecer um cara, senão todos os caras ao longo de toda a vida delas que já fizeram a burrada de as deixar.

Antes de qualquer coisa eu observei, por longos e inteiros 30 minutos eu observei enquanto ela puxava o braço da amiga em direção a pista de dança. Eu imaginei o que mais ela sabia fazer, não no sentido maldoso da palavra, eu apenas queria saber se ela sabia cozinhar ou cantarolar Joy Division baixinho, porque em algum momento em que ela deixava a bebida cair do copo e olhava para o celular, parece que ela percebeu que tinha coisas que fugiam do seu controle, coisas que bebida nenhuma, música nenhuma e sorriso nenhum apagava. E as vezes é o sentimento de ainda pertencer a alguém que já não te pertence mais. E isso eu entendia mais do que qualquer cara da minha idade.

Eu não quis pegar o copo da mão dela como se fosse pra fazê-la parar de beber e dançar comigo. Ao invés disso eu só perguntei :

– “Você precisa de mais um drink ?”. O que saiu fora de contexto e fez ela sorrir.

– “Você vai me pagar um ?”. Droga, eu deveria ter pensado nisso melhor.

– “É o seu terceiro copo, as pessoas não costumam parar no terceiro, não se querem esquecer algo, e bem, você quer ?”. Ela me dá seu sorriso mais uma vez.

– “Agora são duas perguntas. ”

– “E você vai responder algumas delas ?”. O terceiro sorriso foi o sorriso triste mais bonito que eu já vi.

– “Uma garota não pode beber pra se divertir ?”. Droga, de novo.

– “Um cara não pode se preocupar ?”

– Vocês caras tem a tendência de se preocupar até demais. Por coisas erradas até.

– Deixa eu adivinhar, terminou com o namorado ?”.  O que me faz ser um babaca por perguntar.

– “Deixa eu adivinhar : Aquariano ?”. Ótimo, ela era a louca dos signos.

–  “Propensão a saber das coisas ?”.

–  “Não, intrometido.” E aquela parecia a primeira vez que ela sorriu de verdade durante a noite toda.

E é claro que eu tinha que ir atrás dela enquanto via as amigas procurando algum sinal de que ela precisava fugir de mais um cara chato que tinha dado em cima. Mas de uma forma que eu não entendo, mulheres costumam conversar pelo olhar, e bastou um para elas se dispersarem igual pombos e pararem de prestar atenção.

– “Olha, desculpa, não foi a minha intenção, eu só queria…”

–  “Um assunto diferente de qualquer outro cara que já tenha tentado falar comigo porque durante os 30 minutos que você ficou me encarando e contando quantos copos eu bebi em algum momento da sua noite enquanto eu pegava o meu celular você achou que deveria conversar comigo sobre sentimentos ?”. Tudo bem, eu deveria ter esperado por essa.

– “Nossa, você sabe deixar um cara sem palavras.”

–  “Acredite, eu posso fazer muito mais do que deixar um cara sem palavras.”

– “Mais do tipo de quebrar o retrovisor do carro ou fugir na manhã seguinte sem falar nada ?”. Pronto, agora ela realmente estava se divertindo.

– “Mais do tipo que não gosta que um cara tome conta do quanto uma mulher bebe e os motivos dela.” E agora ela cruza os braços como se quisesse parecer séria mas achando graça nisso tanto quanto eu.

– “Escorpiana ?”.

– “Com ascendente em libra.” Essa garota tem sérios problemas.

– Essa é a hora que você espera que eu diga que o prazer de te conhecer foi todo meu ?

– “Pode apostar que sim”. Sim, eu posso apostar em você.

–  “Desculpa, não me convenceu”.

– “Eu não preciso te provar nada”.

– “Mas talvez você queira”.

– “O que eu ganho com isso ?” E notei o tom de desafio na voz dela.

– “Eu”. Agora eu definitivamente parecia com todos os outros caras.

– “Você ? Pra que ?”.

– “Pra te mostrar que o mundo é maior do que você pensa”.

– “O mundo tá de bom tamanho pra mim”. Eu acho que ela mesma queria se convencer do que disse.

– “É por isso que você vai beber o quarto corpo e vai precisar de algo mais forte como tequila, e você nem gosta de tequila por achar que é uma maneira desesperada de ficar bêbada logo. E as 2h da manhã quando estiver se sentindo entendiada o suficiente e admitir que seus sapatos estão realmente te matando você vai pedir um táxi e ir embora. Vai abrir um vinho e botar um disco pra tocar porque sabe que é a única coisa que deveria ter feito a noite toda as invés de ter se preocupar em qual roupa vestir para um lugar que nem queria ir.  Agora me diz : Esse é o mundo em que você quer viver ?”

– “Café, amanhã, as 10h. Não se atrase. Eu te mando mensagem onde”.

– “Pra que ?”. Agora sim chegamos a um ponto.

– “Pra te mostrar que você ainda não viu nada desse mundo”.

E acredite, eu mal poderia esperar pra ver o mundo que ela iria me mostrar.

 

 

 

Pelo o que sobrou de nós

Pelo o que sobrou de nós

(Leia ao som de Let it go do James Bay)

Vai, levanta. Eu quero fingir que você ainda se importa. Que alguma parte de você sente que o mínimo que pode fazer fazer é me ajudar a pegar as minhas coisas e me levar embora. No fundo sabemos que não faz diferença, que deixou de importar, que não tem mais nada no que se possa insistir, tá na hora de largar as armas e parar de tentar travar uma guerra que não vamos ganhar. Não há mais beleza na dor. Tem uma hora que chegamos no ponto em que ficamos anestesiados, de tanto sentir a gente não sente mais nada, e é como eu me sinto agora, tô sentindo na pele o que vem sentindo desde o primeiro momento que a gente voltou, desde que olhou pra mim e disse “por que fizemos isso mesmo ?”. Eu também queria saber, mas agora não é hora, não mais, cê tá me perdendo e sabe disso…

Mas quero que saiba que tá tudo bem, não tem mais o que dizer. Não preciso que segure a porta nem que a abra, eu já sei o caminho. Eu não te culpo porque eu sei que é melhor assim, a gente não falar nada e só se abraçar, lembrar das coisas boas sem querer se dar conta que tivemos tantos momentos  como esse mas que nunca foi sempre desse jeito. De nada adiantou gritar, e ameaçar passar por essa porta e nunca mais voltar, a gente se encontra no nosso caos e talvez essa fosse a parte mais bonita de ser nós dois, saber sempre se encontrar mesmo sem querer ser encontrados, e ainda assim saber que foi a coisa certa a se fazer em meio a todos os nossos erros, mesmo terminando dessa forma porquê entendemos de despedidas mais do que outra coisa. A gente virava mais dor pra que não pudesse virar fim, até que você entendeu. Então agora entenda também…

Tenta entender, que eu sempre fui pela gente. Na parte boa e na parte ruim, quando você me queria e mais ainda quando não me queria, quando insistia em acreditar que só amor não salvava e eu jurava que sim, que podíamos amar eu porque tinha amor suficiente pra todos esses anos em que esperar por você era a única solução. Mas agora eu entendo, hoje eu entendo e te peço pra entender que eu finalmente aprendi, talvez de uma forma mais cruel que você, que eu tive que saber desistir também. Eu tive que aprender a jogar a toalha e tirar meu time de campo pra te ver sendo uma pessoa que eu não me apaixonei, te vi se tornando tudo aquilo que você jurou que não seria, uma pessoa tão mais sua e tão pouco minha, que foi como assistir o meu medo se tornando realidade num filme em que eu não conseguia me desligar da cena. Eu sempre ficava torcendo pra você parar de abrir portas em que eu não estava do outro lado, mas quando você conseguiu chegar onde sempre quis eu consegui aplaudir pelo seu final feliz. Só seu, não nosso. Essa sempre foi a parte mais triste de nós dois, tinha tudo pra ser feliz, mas só conseguimos ser final.

Mas pelo o que sobrou de nós, mesmo sendo pouco eu sei, eu não consigo dizer que não fizemos de todos os nossos acasos as minhas lembranças mais bonitas. Nem que eu não amei você uma, duas, e quantas vezes fossem necessárias achando ser a última. Mas não vou mentir que em cada uma delas eu procurei alguma forma de recomeçar, você sabe como eu sou. Mas pelo o que a gente ainda tem, e pelo o que eu sei que você ainda é da mesma forma que eu ainda sou, eu vou me lembrar de você, e vou lembrar que foi forte e que quase que tive que te matar dentro de mim, só pra não precisar morrer por você nunca mais. Mas eu não o fiz e nem vou fazer porque se não fomos feitos para ficar juntos fomos feitos pelo menos pra marcar a vida um do outro. E sei que de mim você não vai esquecer, nunca mais.

Pra você lembrar de mim

Pra você lembrar de mim

(Leia ao som de Yellow do Coldply)

Eu te disse que a minha partida não seria fácil. Te disse que partiria, não só da sua vida, mas me referi a mim mesma, me referi aos momentos que teríamos que dividir ao meio pra cada um ficar com a metade do que foi bom, do que fez a gente ser eterno do nosso modo. Não queria que esse momento chegasse amor, não queria ter de te ver lidando com a dor, não queria que você se acostumasse com a minha ausência nem aprendesse a um dia sentir minha falta, mas eu te disse que quando esse momento chegasse eu estaria do seu lado e talvez você nem pudesse sentir, mas eu estaria te fazendo sentir todo o meu amor.

Me lembro que quando eu te abracei e te pedi pra ser eterna na sua memória, você me disse que eu também seria no seu coração. Te disse que eu podia não ser capaz de te dar tudo, mas você falou que já era o suficiente. Eu implorei pra que saísse da minha vida enquanto dava tempo de não sairmos machucados e você me disse que seria pior, seria pior não aproveitar esses momentos do que nunca mais me ver. Mas você sabia que eu não estaria aqui para sempre, não sabia ? E mesmo assim ficou. Mesmo sabendo que eu iria da pior forma possível, você ficou do meu lado e segurou a minha mão enquanto eu atravessava pro lugar que um dia eu iria te encontrar e ai sim, seríamos donos da nossa própria eternidade.

Tá difícil eu sei, mas já sabíamos que seria, foi por isso que andamos três vezes na montanha russa, e você me fez perder meu medo de mar. Foi por isso que te fiz dirigir até outra cidade pra ver um outro tipo de anoitecer enquanto cantávamos Yellow e eu chorei, chorei porque tinha medo de te perder e de você me perder de dentro de si, mas você me abraçou e disse que eu podia não ficar mais, mas sempre ia me ver voltar no modo como eu te dei coragem pra continuar mesmo que significasse se perder algumas vezes pra me achar.

E sei que seria capaz de tudo, até de enfrentar seus medo de altura pra ficar mais próximo do céu, e mesmo que não acredite em Deus iria pedir a ele pra que cuidasse de mim lá de cima já que você não iria poder cuidar. Eu te prometi saber sempre o caminho de volta para casa, seja em um outro amor que você saberia que seria o meu. E pra você lembrar de mim, siga seu coração, pois ele sempre vai te levar até a mim.

Não te juro amor, não te juro mais nada

Não te juro amor, não te juro mais nada

Joguei tua mochila que estava nas minhas costas no chão. Eu nunca me importei com o peso, de verdade, era mais pelo conteúdo, era mais por saber que você ainda carregava coisas que devia deixar pra lá há muito tempo. Você disse que não queria ser peso, mas eu carreguei teu mundo nas minhas costas e nem nunca reclamei, ele era o meu também. Você deve ter achado estranho o fato de eu ter conseguido ser forte dessa vez, mas não sabe o quanto me custou pra fazer isso. Mas não se tratava de uma escolha, se tratava das opções que ficariam nulas, e você nem ao menos me deu a de continuar, de dividir a carga comigo, de admitir que precisava de ajuda, se permitir precisar de mim. Você não jurou tentar, bem, eu sim. Meu erro foi esse.

É aquela mania besta de bater na mesma tecla só para ver se o som sai diferente, mas nunca sai, sabe ? Sempre a mesma música tocada, o final é sempre igual. Até que o disco arranha e você enjoa de dançar comigo. Ela continua e eu continuo ali, esperando por um novo disco, esperando que me dê a mão para continuarmos. Até que a luz se apaga, e as cortinas se fecham. Você não jurou voltar, mas eu esperei.

Porque eu precisava de um motivo, apenas um que me fizesse desistir de você de novo. Sabia que quando estivéssemos bem, e eu estivesse feliz a ponto de achar que tudo ficaria bem, você faria algo que me fizesse retomar a minha consciência e me lembrar do quanto isso é errado. Foi então que eu percebi que eu esperava que você fizesse algo pra me fazer ir embora, mas você já tem feito desde que voltou. O seu’ fazer algo’ é simplesmente não fazer, é se calar, ficar em silêncio, é não retribuir, é me deixar idealizando sozinha que um dia, a gente conseguiria. Mas a gente nem existe mais, só existe eu, e eu tô cansada de esperar algo em troca de você. De implorar por amor, de viver feliz com o pouco que você me dá. De levar sua mochila de um lado pro outro pra não ter que carregar o peso das minhas próprias escolhas. Você não me jurou me dar algo que já não tinha, em momento nenhum.

Até por que, quem ama deixa livre. Você não me deixou livre por amor, foi por pura questão de sobrevivência pra sair mais ileso dessa história. E eu ? Me livre pra parar de amar você. Boa sorte com o que você vai ser daqui pra frente. Não te juro um recomeço longe de todos os problemas, nem que vá me ver aqui sempre que precisar. Porque se eu não te jurar amor nunca mais acredite, eu não te juro mais nada.

Ficar, a gente ainda vai. Pra depois ou pra trás.

Ficar, a gente ainda vai. Pra depois ou pra trás.

(Leia ao som de The heart wants what it wants da Selena Gomez)

A gente poderia continuar nisso a noite toda, não que algo fosse mudar, mas enquanto a gente ainda brigasse por coisas que sabemos que estão fora do nosso alcance e eu jogasse as coisas pra você na esperança que você recolhesse de volta com alguma solução pra gente, valeria a pena lutar. Valeria a pena dizer que eu não queria falar tudo o que falei, que só fiz aquilo porque eu precisava que você sentisse que tava me perdendo pra não desistir, pra não desistir de novo e da forma mais cruel que alguém pode desistir de outra pessoa, ir embora sabendo que ainda tem amor na nossa história, mas sem saber como fazer pra ainda amar.

Mas o que eu posso dizer? Tudo aconteceu como tinha que ser. Eu fui eu, você foi você e nenhum de nós foi a gente. Repetimos o mesmos erros, gritamos que não aguentamos mais, nos afastamos quando percebemos que a pior dor é a que nós causamos a nós mesmos e voltamos porque perde-se também e caminho, e eu sempre sou o seu por mais que você ainda não acredite em mim. Mas se o sentido da vida é pra frente, porque sempre olhar pra trás pra não esquecer de lembrar de mim ? Não esquecer que eu ainda sou tudo o que sempre precisou mas não teve coragem de lembrar que até sem mim você me tem ? O que me atormenta é que sou capaz de amar sua covardia. Foi o que restou de você em mim.

Porque eu nunca neguei, você faz parte de mim. E coisas assim, como fazer parte de alguém, deveriam durar pra sempre mesmo que não se saiba como. Eu queria acreditar que você, assim como eu, não queria se ver livre dessa história, mas você pode ficar, e pensar em mim todos os dias, e pode doer, de uma forma que talvez eu nunca entenda, e vai pedir pra esquecer, mas sempre vai preferir o silêncio do que admitir que na sua cabeça você esperava que tivesse tido mais de nós dois.

Embora eu queira muito, embora eu tenha querido isso pra gente durante todo o tempo, não tem como mais querer por você. Não tem como encher meu peito de desculpas suas porque se você quisesse,  se realmente quisesse durante esse tempo todo enquanto eu estive aqui mesmo sem me querer, você já teria conseguido aprender a ficar. Teria aprendido a matar seus demônios e afogar os seus medos. Mas depois de inúmeras chances, e inúmeras tentativas, e de todas as vezes que você bateu tão forte na minha porta me fazendo acreditar que daquela vez você realmente queria entrar e ficar, eu aprendi que se você não ficou, nunca vai aprender, não do jeito que eu preciso, de um jeito que nunca nem se permitiu por achar que não seria o bastante. Eu só te pedi que entendesse, e que deixasse todo o resto comigo, porque eu sei, e sempre vou saber que no dia que você finalmente aprender a ficar, vai ser o dia que vou aprender a finalmente ir embora.

 

Você foi a melhor coisa que não me aconteceu

Você foi a melhor coisa que não me aconteceu

(Leia ao som de Ligação do Nx Zero)

Pegou todas as suas coisas ? Ótimo. Porque eu não quero mais ver você aqui, me devolva as chaves, não aja como se algo dessa história ainda te pertencesse quando você estava ocupada demais fazendo o seu teatro. Hoje eu entendo o por quê de ninguém da tua vida ter ficado, e entendo o motivo de eu ter sido só mais um a te dar tudo o que achava que você merecia sendo que hoje eu vejo que você é isso.. E isso ? Me fez perder tempo demais.

Fico pensando nas pessoas que deixei de conhecer, nos lugares que não fui, na vezes que todos os meus amigos saíram pra beber e eu ? Eu fazia a gente dar certo mesmo quando você insistia no errado e em me botar cada vez mais pra baixo. E quando eu pensava em desistir era o momento em que você me mostrava que podia ser melhor, que deveríamos tentar ser melhor, e que compensaria no final. Nosso final chegou, ele estava tanto tempo lá que faltava apenas eu perceber que o que faltava em mim não era mais você, era liberdade. Liberdade de ser quem eu sempre fui, sem ser julgado a cada instante.

Eu não lembro o momento exato em que desisti de você, mas sabia que tinha algo a ver com estar cansado de insistir e te ver cada vez mais longe, em ver que amor não valia a pena se acabasse com a minha paz de espiríto e me deixasse preso a ponto de não conseguir mais diferenciar o que era ser feliz com você e tentar ser feliz sozinho. Então eu tive que aprender, e esperar que você passasse e pelo menos sobrasse algo de bom pra falar de nós dois. Mas até o que tinhamos de bom você vez questão de apagar em mim.

Hoje depois de meses, eu não sinto mais nada, nem apego a nossa história, talvez porque você tenha me feito sentir como se eu fosse apenas algo da sua vida que você não fazia questão que durasse. E tá tudo bem, porque assim eu aprendi com os meus erros e pude saber que o tempo todo eu podia ser feliz sem você, e ir pra onde eu quisesse, e quem saber amar de novo. Não vou te dizer que você foi o pior erro, mas foi a melhor coisa que não me aconteceu.

Amar é fim de tarde com você olhando o mar

Amar é fim de tarde com você olhando o mar

(Leia ao som de Vento no litoral do Legião Urbana)

Nosso barco balançou um pouquinho e vi o seu medo de não saber remar. De ser cedo, de sermos jovens, de não sabermos como amar… De não sabermos como começar a amar. E você foi se afastando, se afastando até que eu descobri que fui pra um barco sozinho com alguém que não sabia nadar e tinha medo de morrer na praia. E então você me deixou.

Eu não tiro a sua razão, mas hoje, essa noite eu não vou fingir não querer te ligar as 2h da manhã enquanto eu perco a minha mente e você consegue dormir. Eu não vou guardar pra mim que tenho sentido a sua falta. Tudo o que eu peço é que atenda esse telefone, atenda e escuta o que eu tenho pra te falar. Escuta o barulho das ondas batendo ao fundo, escuta meu coração batendo forte querendo ter coragem pra pedir ser só a gente mais um vez mesmo que você não tenha certeza, mas eu tenho, eu sempre tive.

Ignora que eu já terminei de beber sozinho essa garrafa e sai sem rumo por ai e vim parar na areia dessa praia só pra poder ver o mar e lembrar de você. Porque a mesma onda que te levou pode te fazer voltar.

Seguro minha respiração por debaixo da linha, eu sei que está tarde, mas está tarde pra tentar ? Pra te fazer entender que amar não é sempre calmaria e que o barco pode virar e levar os dois juntos. Sei que parece um exemplo clichê de Titanic mas você sempre gostou desse filme e eu sempre gostei de você, então fica, fica comigo pra afundarmos os pés na areia e com ela o seu medo.

Porque amar é fim de tarde com você olhando o mar, vendo nosso horizonte de opções, sabendo que temos a sorte de um amor tranquilo, e que quando as ondas quebram conseguimos nos segurar ao que temos pois eu vou sempre te abraçar do amanhecer ao pôr do sol. E quando o mar do nosso amor se agitar, quando você se sentir com medo de afundar, eu vou ser a âncora que te segura e não a que te puxa pra baixo. Pra te fazer permanecer na superfície, e segurar sua mão daqui pra até aonde você for.