(Leia ao som de Before the worst do The Script)

“Tá bom, as 19h está marcado.” Até aqui pareço bem e sã o suficiente para nossos reencontros anuais. Os que nos vemos, tomamos uma bebida, conversamos como se nada tivesse acontecido e fazemos sexo na sua casa. E depois de toda a conversa e o desejo de reparar os nossos erros, quando o silêncio invade o quarto e percebemos que nunca temos algo a dizer, apenas de trabalho, família, aquele álbum novo que lançou, e aquela festa de um amigo nosso, tem uma brecha que não foi preenchida… Mas e a gente ? A gente é tão passado que não vale nem a pena tocar no assunto. As coisas são como são e eu já aprendi a não te querer mais pra mim. Você se torna mais interessante quando não está disponível.

Revivemos apenas o que conhecemos, o jeito que me olha, saboreamos a comida, discutimos banalidades. Você com essa mania de se fechar pra mim mesmo eu já conhecendo seu interior e essa bagunça que é ai dentro. Mesmo passando tanto tempo tentando reparar e me moldando as suas manias, o seu jeito, e aprendendo a amar você e o seu caos, eu ainda não sei lidar com as portas que se fecham em seguida. Mesmo sabendo que eu e você, não somos feitos pra isso, ora amigos, ora pessoas que se procuram apenas pelo toque que já conhecemos e sabemos que é seguro. Mais seguro do que insistir no que não foi feito pra durar.

Você sabe, eu sei. Que durante todos esses anos quando alguém perguntava de mim pra você, você se recusava a sentir falta e lembrar que eu ajudei a fazer a sua história. Mas nessa tua agenda lotada de compromissos com outras pessoas, sobrou tempo pra lembrar de nós ? Você conseguiu se lembrar que era eu esperando por horas a fio que um dia isso fosse capaz de dar certo ? Que não eram apenas os seus sonhos, eram os meus também ? Depois de ter ficado e ido tantas vezes, em todas que me pediu pra voltar, eu voltei, você se deu conta do por quê ?

Não apenas por tato, e pelo cheiro, e pela sua cama ser melhor que a minha, e sim porque nos conhecemos bem, bem demais pra saber que a gente estragaria até a nossa separação ao não ficar longe do outro. A ter tantas oportunidades e ainda assim voltar a cometer os mesmos erros que são mais facéis do que dar o braço a torcer e acertar, e aceitar, aceitar que tanto eu e você sentimos prazer com a dor. É porque no fundo, não tem ninguém que faça como eu fiz em apoiar até os seus sonhos mais loucos e traduzir o seu silêncio. E entre drinks, conhecer outros corpos, e provar outros gostos, e saber que talvez seja assim que funcione e que não vamos mudar nunca, eu te convido pra entrar e rezo pra que sempre saiba o caminho de volta até a mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s