Eu não tinha assunto pra chegar nela. Agora pareci um adolescente falando. Espera, antes tenho que explicar todo o contexto pra querer ter um assunto pra não ser só mais um babaca da noite dela. Então, lá vai.

Ela parecia estar se divertindo, tinha mais duas amigas a acompanhando, uma parecia estar mais sóbria e a outra parecia estar quase na mesma animação que a dela, apenas a 1 copo e meio de vodka com energético de diferença.

Eu sempre me perguntei o porquê das mulheres comerem chocolate quando estão de tpm, é porque estão de tpm e precisam de chocolate, mas quando elas enchem o copo, botam o batom vermelho e sorriem tanto como se fosse pra convencer a si mesmas que realmente estão felizes por estar ali, é porque elas precisam esquecer um cara, senão todos os caras ao longo de toda a vida delas que já fizeram a burrada de as deixar.

Antes de qualquer coisa eu observei, por longos e inteiros 30 minutos eu observei enquanto ela puxava o braço da amiga em direção a pista de dança. Eu imaginei o que mais ela sabia fazer, não no sentido maldoso da palavra, eu apenas queria saber se ela sabia cozinhar ou cantarolar Joy Division baixinho, porque em algum momento em que ela deixava a bebida cair do copo e olhava para o celular, parece que ela percebeu que tinha coisas que fugiam do seu controle, coisas que bebida nenhuma, música nenhuma e sorriso nenhum apagava. E as vezes é o sentimento de ainda pertencer a alguém que já não te pertence mais. E isso eu entendia mais do que qualquer cara da minha idade.

Eu não quis pegar o copo da mão dela como se fosse pra fazê-la parar de beber e dançar comigo. Ao invés disso eu só perguntei :

– “Você precisa de mais um drink ?”. O que saiu fora de contexto e fez ela sorrir.

– “Você vai me pagar um ?”. Droga, eu deveria ter pensado nisso melhor.

– “É o seu terceiro copo, as pessoas não costumam parar no terceiro, não se querem esquecer algo, e bem, você quer ?”. Ela me dá seu sorriso mais uma vez.

– “Agora são duas perguntas. ”

– “E você vai responder algumas delas ?”. O terceiro sorriso foi o sorriso triste mais bonito que eu já vi.

– “Uma garota não pode beber pra se divertir ?”. Droga, de novo.

– “Um cara não pode se preocupar ?”

– Vocês caras tem a tendência de se preocupar até demais. Por coisas erradas até.

– Deixa eu adivinhar, terminou com o namorado ?”.  O que me faz ser um babaca por perguntar.

– “Deixa eu adivinhar : Aquariano ?”. Ótimo, ela era a louca dos signos.

–  “Propensão a saber das coisas ?”.

–  “Não, intrometido.” E aquela parecia a primeira vez que ela sorriu de verdade durante a noite toda.

E é claro que eu tinha que ir atrás dela enquanto via as amigas procurando algum sinal de que ela precisava fugir de mais um cara chato que tinha dado em cima. Mas de uma forma que eu não entendo, mulheres costumam conversar pelo olhar, e bastou um para elas se dispersarem igual pombos e pararem de prestar atenção.

– “Olha, desculpa, não foi a minha intenção, eu só queria…”

–  “Um assunto diferente de qualquer outro cara que já tenha tentado falar comigo porque durante os 30 minutos que você ficou me encarando e contando quantos copos eu bebi em algum momento da sua noite enquanto eu pegava o meu celular você achou que deveria conversar comigo sobre sentimentos ?”. Tudo bem, eu deveria ter esperado por essa.

– “Nossa, você sabe deixar um cara sem palavras.”

–  “Acredite, eu posso fazer muito mais do que deixar um cara sem palavras.”

– “Mais do tipo de quebrar o retrovisor do carro ou fugir na manhã seguinte sem falar nada ?”. Pronto, agora ela realmente estava se divertindo.

– “Mais do tipo que não gosta que um cara tome conta do quanto uma mulher bebe e os motivos dela.” E agora ela cruza os braços como se quisesse parecer séria mas achando graça nisso tanto quanto eu.

– “Escorpiana ?”.

– “Com ascendente em libra.” Essa garota tem sérios problemas.

– Essa é a hora que você espera que eu diga que o prazer de te conhecer foi todo meu ?

– “Pode apostar que sim”. Sim, eu posso apostar em você.

–  “Desculpa, não me convenceu”.

– “Eu não preciso te provar nada”.

– “Mas talvez você queira”.

– “O que eu ganho com isso ?” E notei o tom de desafio na voz dela.

– “Eu”. Agora eu definitivamente parecia com todos os outros caras.

– “Você ? Pra que ?”.

– “Pra te mostrar que o mundo é maior do que você pensa”.

– “O mundo tá de bom tamanho pra mim”. Eu acho que ela mesma queria se convencer do que disse.

– “É por isso que você vai beber o quarto corpo e vai precisar de algo mais forte como tequila, e você nem gosta de tequila por achar que é uma maneira desesperada de ficar bêbada logo. E as 2h da manhã quando estiver se sentindo entendiada o suficiente e admitir que seus sapatos estão realmente te matando você vai pedir um táxi e ir embora. Vai abrir um vinho e botar um disco pra tocar porque sabe que é a única coisa que deveria ter feito a noite toda as invés de ter se preocupar em qual roupa vestir para um lugar que nem queria ir.  Agora me diz : Esse é o mundo em que você quer viver ?”

– “Café, amanhã, as 10h. Não se atrase. Eu te mando mensagem onde”.

– “Pra que ?”. Agora sim chegamos a um ponto.

– “Pra te mostrar que você ainda não viu nada desse mundo”.

E acredite, eu mal poderia esperar pra ver o mundo que ela iria me mostrar.

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Pra te mostrar que o mundo é maior do que você pensa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s