No começo foi bem difícil, confesso. Parecia que a cada foto que você postava era como se quisesse me mostrar que estava melhor sozinho do que esteve comigo aquele tempo todo. Um tapa na cara doeria menos do que ver que você fez planos com outra pessoa e pra mim eram sempre desculpas de que tava trabalhando demais e que precisava de um tempo. A verdade nua e crua doí, e essa foi a parte que decidi fechar seu Instagram e não saber mais de você. Senti nossa história indo pro ralo, joguei no lixo tudo o que me deu pra não ficar guardado no armário, apaguei seu número como se não soubesse de cor, refiz meu trajeto pra não ter que passar em frente a seu apartamento e não dar de cara com você.

Cogitei atirar ovos na sua janela e fugir, mesmo sabendo que não importava aonde eu fosse eu tava torcendo pro nosso olhar se cruzar na rua pra te dizer o que tem estado entalado esse tempo todo. Engraçado como tudo vira competição de quem está mais feliz, o ego fala mais alto. E ficar sozinha nunca é bem uma opção. Segundo meus amigos eu precisava ir pra alguma festa porque iria conhecer gente legal, um cara que soubesse conversar sobre política e que iria adorar ver Vikings comigo, um cara diferente de você, mais maduro, que sabia o que queria fazer na faculdade. Eu precisava beber porque ai sim eu ia esquecer você, e logo alguém melhor iria me fazer superar todos os relacionamentos de merda que eu tive.

Mas a cada tentativa era um erro que não estava mais disposta a cometer, se você estava feliz tentando preencher o vazio que talvez sempre existiu com o tempo eu também iria ficar. Sem precisar sair com o amigo de um amigo meu e ter que enfrentar toda a aquela baboseira de primeiro encontro e recomeços que só servem pra ocupar um lugar que um dia foi seu. Sem querer jogar na sua cara que você foi o pior erro que eu já cometi quando a maior prova de que eu estava te esquecendo era olhar pra frente e ver que eu estava completa e absolutamente bem sem você pra encher a minha cabeça de dúvidas a todo instante, e tornar tão difícil acreditar que amar era bom para todas as partes. Com o tempo, tudo o que eu senti não ficou nem como uma lembrança boa que eu quis guardar… E a partir daí eu percebi.

Eu, que não te amo mais, tive que refazer meus planos, tive que apagar nossas fotos e não sentir pena de jogar fora cada momento que tivemos. Fui desapegando de pouquinho em pouquinho da esperança de que quando você percebesse o erro que havia cometido voltaria correndo, igualzinho nas cenas de filme quando o cara vai atrás da garota pra ela não pegar o ônibus e ir embora da vida dele pra sempre. Tive que aprender a me remendar sozinha, sem usar ninguém dos contatos da agenda pra quando batesse aquela carência. Baixei aquela série de treze temporadas e aprendi a ir no cinema sozinha e rir das minhas próprias piadas. Te juro que pensei que não fosse passar tão cedo mas passou, e me sinto mais leve, mais eu, uma pessoa totalmente nova que você não vai ter o prazer de conhecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s